Doenças de gatos: Conheça as mais comuns

Todo o tutor precisa ficar atento às doenças de gatos mais comuns no dia a dia, especialmente aquelas que não apresentam sintomas tão claros. 

Boa parte das doenças acabam sendo transmitidas por vírus e podem ser evitadas através de vacinas, mas isso não exclui a responsabilidade de ficar atento para os sintomas. 

Doenças virais ou que são desenvolvidas durante a vida do gato, nem sempre se manifestam de forma agressiva.

Neste conteúdo você vai entender quais são os principais sintomas das doenças de gatos mais comuns para cuidar ainda melhor do seu gatinho. Confira! 

1. Rinotraqueíte Felina (FVR)

A Rinotraqueíte Felina (FVR) é uma doença respiratória e contagiosa que afeta os gatos de todas as idades. 

A principal causa é pelo Herpesvírus Felino, um vírus que pode ser transmitido por meio do contato direto entre gatos, secreções nasais e oculares infectadas, e objetos contaminados. 

A doença também pode ser passada da gata para os filhotes se ela estiver contaminada. Para prevenir a transmissão, é indicado a vacinação entre 6 e 8 semanas de vida do gatinho e cuidados higiênicos no ambiente. 

Principais sintomas da Rinotraqueíte Felina

  • Espirros frequentes;
  • Corrimento nasal claro ou mucoso;
  • Conjuntivite, com olhos lacrimejantes e vermelhos;
  • Febre;
  • Letargia e perda de apetite.

    Em casos mais graves, a FVR pode levar a úlceras na córnea (ceratite), pneumonia, e em gatas prenhas, pode resultar em aborto espontâneo ou complicações no parto.

Qual o tratamento para Rinotraqueíte?

O tratamento da Rinotraqueíte Felina deve ser indicado por um veterinário, assim como várias outras doenças de gatos, mas normalmente são usados antibióticos para prevenir infecções secundária e outras medicações para congestão nasal.

Manutenção da hidratação e nutrição adequada, especialmente se o gato estiver com dificuldade para comer, também precisam fazer parte dos cuidados. 

Até o momento, infelizmente, não existe cura definitiva para a Rinotraqueíte Felina, e os gatos podem se tornar portadores crônicos do vírus mesmo depois da recuperação. 

A vacinação é a melhor  medida para prevenir a infecção, sendo recomendada como parte do protocolo de imunização em gatos.

2. Panleucopenia Felina (FPV)

As doenças de gatos mais comuns, são virais e uma delas é a Panleucopenia Felina, também conhecida como "parvovirose felina" ou "doença do parvovírus felino" (FPV).

A condição é causada pelo Parvovírus Felino, altamente resistente no ambiente e pode sobreviver por meses, ou até anos em alguns casos, em superfícies contaminadas.

O FPV é transmitido por contato direto com as fezes contaminadas, urina, saliva, sangue ou fluidos corporais de gatos infectados. A doença ainda pode ser transmitida por objetos contaminados, como tigelas de comida, caixas de areia e superfícies onde o vírus pode persistir.

Principais sintomas da Panleucopenia Felina 

  • Vômitos;
  • Diarreia severa e frequentemente sanguinolenta;
  • Febre;
  • Desidratação;
  • Anemia;
  • Falta de apetite;
  • Depressão e letargia.

Qual o tratamento da Panleucopenia?  

O tratamento da Panleucopenia Felina inclui hidratação intravenosa para combater a desidratação do gatinho, controle de vômitos e diarreia e administração de antibióticos para prevenir outras infecções.

Mesmo com esses cuidados, os gatos infectados devem ser isolados para evitar a propagação do vírus e não devem compartilhar nenhum brinquedo, acessório, comedouro ou caixinha de areia.

A doença pode ser prevenida mantendo o ambiente sempre limpo e  pela vacinação, de preferência quando os gatos ainda são filhotes, logo nas primeiras semanas de vida. 

Se o seu gato tem acesso a rua e não foi vacinado, procure um veterinário imediatamente. A Panleucopenia é uma doença de gato séria e pode ser assintomática em alguns felinos.

3. Calicivírus Felino (FCV)

É mais uma doença viral, causada pelo Calicivírus Felino, que infecta o trato respiratório e também pode afetar as gengivas, resultando em problemas bucais.

A transmissão da Calicivírus Felino acontece pelo contato direto entre gatos, seja por meio de secreções nasais e orais, saliva, ou compartilhamento de tigelas de comida e objetos contaminados.

É importante destacar que existem diversos vírus que podem causar a doença, tornando a higiene o principal combatente do Calicivírus. 

Principais sintomas Calicivírus Felino

  • Espirros frequentes;
  • Corrimento nasal e ocular;
  • Úlceras na boca e na língua;
  • Salivação excessiva;
  • Dor nas patas.

    Em casos mais graves, a Calicivírus pode causar pneumonia, inflamação das articulações, febre e perda de apetite, levanto o gato a óbito se não for tratada. 

Qual o tratamento da Calicivírus Felino (FCV)?

O tratamento da Calicivirose Felina inclui antibióticos para tratar possíveis infecções bacterianas, analgésicos para aliviar a dor e a febre, fluidoterapia para prevenir a desidratação e alimentação especial em casos de úlceras na boca que dificultem a ingestão de alimentos.

Assim como as outras doenças de gatos já faladas até aqui, a FCV pode ser prevenida pela vacinação, especialmente para felinos que vivem em ambientes com outros gatos, como abrigos, ou que você resgatou da rua.

4. FeLV

A Leucemia Felina ou FeLV,  é uma doença viral causada pelo Vírus da Leucemia Felina. Essa infecção compromete o sistema imunológico, deixando o gato suscetível a infecções e aumentando o risco de desenvolver outras doenças graves. 

A FeLV pertence à família Retroviridae, que é transmitido por meio do contato próximo entre gatos, especialmente pela saliva, secreções nasais, leite materno, e ocasionalmente pelo sangue.

A transmissão mais frequentemente é durante brigas entre gatos, acasalamento, durante a gestação e compartilhamento de tigelas de comida e objetos contaminados. Gatos que vivem juntos em ambientes fechados, estão em maior risco de transmissão.

Principais sintomas da FeLV

Os sintomas da Leucemia Felina podem variar e alguns gatos podem permanecer assintomáticos por longos períodos, mas acaba sendo muito comum: 

  • Perda de peso;
  • Letargia;
  • Anemia;
  • Infecções frequentes;
  • Diarreia crônica;
  • Problemas de pele.

    A doença também pode levar a doenças mais graves, como linfoma e outras formas de câncer.

Qual o tratamento da FeLV?

Não existe uma cura definitiva para a Leucemia Felina, mas é possível fazer tratamento, que se concentra em controlar os sintomas e oferecer suporte ao sistema imunológico.

Em casos em que a doença se manifesta, podem ser administrados antibióticos e outros medicamentos. A eutanásia também pode ser considerada como parte dos cuidados em casos avançados ou quando a qualidade de vida do gato é gravemente comprometida.

A Leucemia Felina é uma doença silenciosa, que pode atacar em momentos de estresse do gatinho, se manifestando através de cansaço ou perda de apetite. 

A boa notícia é que o diagnóstico é feito por testes rápidos de sangue e é possível vacinar o gato para prevenir o vírus. 

5. Doença do Trato Urinário Inferior Felino (DTUIF)

A Doença do Trato Urinário Inferior Felino (DTUIF), também conhecida como síndrome urológica felina, é manifestada especialmente em gatos machos, que pode causar desde inflamações até obstruções, sendo a obstrução uretral uma emergência médica grave.

A causa mais comum é a infecção do trato urinário por bactérias na região da bexiga ou uretra, ou cistite, que pode ocasionar a formação de cristais na urina ou dificuldade em urinar. 

Em muitos casos, os gatos acabam contraindo a doença devido a alimentação inadequada, estresse, falta de hidratação ou fatores genéticos. 

Principais sintomas da Doença do Trato Urinário Inferior Felino:

  • Dificuldade para urinar;
  • Urinar em locais inadequados;
  • Presença de sangue na urina;
  • Lambidas excessivas na região genital. 

    Gatos machos podem ter obstrução uretral, levando a um quadro de emergência com dor abdominal, vômitos e letargia.

Qual o tratamento da DTUIF?  

O tratamento depende da causa específica, mas pode incluir terapia de fluidos por conta da desidratação, uso de antibióticos e analgésicos, dieta adequada e desobstrução uretral, em casos de bloqueio uretral em gatos machos, por ser uma emergência médica.

Por não se tratar de um vírus, a DTUIF não tem vacina como as outras doenças de gatos que você conferiu. Sendo assim, a prevenção é seguir uma dieta saudável, estímulo à hidratação, manter o ambiente limpo e sem estresse, e monitorar o comportamento do gato. 

6. Diabetes Felina

A Diabetes Felina é uma condição metabólica que aumenta os níveis de glicose no sangue. Assim como em humanos, a diabetes em gatos está relacionada à produção insuficiente de insulina ou à incapacidade do corpo de utilizar a insulina produzida. 

A doença pode ser causada por fatores genéticos, obesidade ou alimentação não saudável para o gatinho, e inflamação crônica.

A condição é mais comum em gatos mais velhos, em machos não castrados e em raças específicas, como o Burmese, por ter uma predisposição genética.

Principais sintomas da Diabetes Felina

  • Aumento da sede (polidipsia);
  • Aumento da urina (poliúria);
  • Perda de peso, mesmo com aumento do apetite;
  • Fraqueza e letargia;
  • Pelagem opaca ou desidratação;
  • Infecções recorrentes.

Qual o tratamento da Diabetes Felina? 

As formas mais comuns de tratamento são a administração de insulina por injeção para regular os níveis de glicose no sangue, dieta saudável e com baixo teor de carboidratos, monitoramento regular da glicose e controle de peso. 

Para evitar a doença no seu gatinho, procure oferecer uma alimentação equilibrada, estimule a hidratação e, sempre que possível, leve seu felino para fazer exames regulares, especialmente se ele tiver predisposição para engordar ou para ser diabético.

7. Obesidade Felina

A obesidade felina é um problema de saúde comum e ocorre quando existe um acúmulo excessivo de gordura corporal, do mesmo jeito que acontece com os humanos.

O problema dessa doença de gato, é que pode ter várias consequências, como a dificuldade de caminhar, pular e respirar. 

A causa dessa condição está vinculada ao consumo excessivo de alimentos ricos em calorias, falta de exercícios e movimentação e fatores genéticos, que podem piorar em gatos mais velhos ou que passaram por castração.  

Principais sintomas da Obesidade Felina

  • Aumento de peso;
  • Dificuldade em se mover;
  • Falta de energia;
  • Dificuldade respiratória;
  • Problemas articulares;
  • Outras complicações de saúde.

Qual o tratamento para a Obesidade Felina?

O tratamento da obesidade felina não foge do comum das doenças de gatos e exige uma dieta balanceada, com porções controladas, atividade física regular, que pode ser  através de brincadeiras e brinquedos, e consultas veterinárias regulares.

A prevenção e tratamento da obesidade felina envolve uma combinação de várias pequenas coisas e sem o monitoramento do tutor e o acompanhamento com o veterinário, o gato não vai conseguir sozinho. Esteja disponível para o seu gatinho!

Quais são as vacinas que os gatos devem tomar?

As vacinas recomendadas para gatos podem variar dependendo de fatores como a idade do gato, histórico de vacinação anterior, estilo de vida e localização geográfica. 

Mas existem algumas que são geralmente consideradas essenciais para a saúde dos gatos, como: 

  • Vacina Tríplice Felina (FVRCP) - Protege contra a Rinotraqueíte Felina (FVR), Calicivirose Felina (C), Panleucopenia Felina (P); 
  • Vacina contra a Leucemia Felina (FeLV) - Protege contra o Vírus da Leucemia Felina; 
  • Vacina contra a Raiva - Protege contra o Vírus da Raiva;
  • Vacina contra a Chlamydia - Protege contra a Chlamydia felis;
  • Vacina contra a Imunodeficiência Felina (FIV) - Protege contra 0 Vírus da Imunodeficiência Felina.

    Todo o gato deve seguir um calendário de vacinação assim que for adotado. A frequência das vacinas pode variar e algumas podem ser administradas anualmente ou a cada três anos, conforme orientação do veterinário. 
Empire Pet
29/05/2024
Pague com
  • Pix
  • proxy-pagarme-v5
Selos

SILVEIRA E SILVA COMÉRCIO DE RAÇÕES LTDA - CNPJ: 09.579.781/0001-95 © Todos os direitos reservados. 2024

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência em nosso site. Para saber mais acesse nossa página de Política de Privacidade